Skip directly to content

História

 

 

Fundado em 21 de agosto de 1938 por operários da construção civil , o galo nasceu para derrubar barreiras políticas e sociais de um país que vivia um período de mudanças dentro do chamado Estado Novo.

 

Liderado pelo pintor Plínio Bittencourt, o clube surgiu da união de forças de cidadãos comuns que buscavam dar vazão aos seus anseios em prol de uma sociedade onde o futebol pudesse ser acessado pelas classes populares, já que nesse período o mesmo era um esporte da elite  brasileira.

 

 

 

 

O clube se profissionalizou na década de 1970, conquistando seus primeiros títulos em meados  da referida década. No fim dos anos 70 e início dos anos 80, o Operário fez boas campanhas nos seguidos Campeonatos Brasileiros que disputou, sendo considerado pela imprensa e adversários da época a primeira e grande força nacional do futebol do interior do Brasil.

 

 

AUGE

 

Tricampeão mato-grossense (1976/1977/1978), o clube seguiu com sua hegemonia estadual quando Mato Grosso do Sul foi criado. No Campeonato Brasileiro de 1977, dirigido por Carlos Castilho, realizou uma das melhores campanhas de um clube do Centro-Oeste na história do Campeonato Brasileiro: Terceiro lugar na classificação final. Tendo o goleiro Manga, que disputara a Copa de 1966 como destaque, o time despachou durante as quatro (04) fases do campeonato equipes como o Coritiba, Fluminense, Santa Cruz , Remo e Palmeiras, chegando  nas semifinais contra o São Paulo.

 

O jogo de ida aconteceu no estádio do Morumbi em São Paulo, onde foi derrotado pelo tricolor paulista na presença de 103.092  mil presentes, batendo o recorde de público em jogos do São Paulo em campeonatos brasileiros, que persistiu por muitos anos. O jogo manteve-se com o placar de 0 a 0 até os 32 minutos do segundo tempo, quando Serginho Chulapa abriu o placar.  Nos minutos finais, infelizmente tomamos  mais dois gols.

 

No jogo da volta no estádio Morenão, em Campo Grande, o galo venceu por 1 a 0, mas foi eliminado da competição em decorrência do saldo de gols. O gol da vitória foi marcado por Tadeu Santos. Em 1979 e em 1981, o Operário foi respectivamente quinto e sétimo colocado no Brasileirão.

 

São Paulo x Operário F.C.  (Semifinal do Brasileirão de 1977)

 

GRANDE ELENCO

 

Em 1981, montou novamente um grande elenco, possuía um meio de campo formado por Garcia, Arturzinho e Pastoril , sendo considerado até hoje um dos melhores times já montados  pelo então "Galo da Bandeirantes", sagrando-se  tricampeão sul-mato-grossense.

 

 

Operário x Comercial , Comerário dos anos 80, quando nosso futebol escrevia sua própria história

 

TÍTULO INTERNACIONAL

 

Em 1973 o Operário à convite da CDB hoje CBF  fez uma excursão a antiga União Soviética(URSS) e conquistou o seu primeiro título internacional.

 

Em 1982, o clube foi convidado a representar o Brasil em um campeonato  Internacional com dez clubes de vários continentes.

 

 

 

 

O Operário com uma apresentação de Gala e com um grande elenco chegou e venceu na final o clube alemão Bayer Leverkusen e conquistou a Taça do Mundialito President Cup, que foi disputada na Coréia do Sul. É o título internacional mais importante da história do clube.

 

TÍTULO NACIONAL

 

Em 1987 foi realizada pela CBF a décima edição do Campeonato Brasileiro Serie B, foi disputada por 48 equipes divididas em 2 módulos: Módulo Azul e Módulo Branco.

 

Jogando contra 24 equipes do Brasil, o Operário fez a final contra o Paysandu e venceu o Campeonato pela primeira vez.

 

 

Operário Futebol Clube Campeão Brasileiro de 1987 (Módulo Branco)

 

 

DA DECADÊNCIA AO RESSURGIMENTO

 

A partir de 1987, com a criação do Clube dos 13, equipes de porte médio, como o Operário, ficaram de fora da elite do futebol nacional. Começou aí a decadência do Galo e o esvaziamento dos torcedores no Morenão. Por ser uma equipe de massa, o Operário sofreu mais diretamente com esta mudança.

 

Neste período o clube viveu uma conturbada disputa política nos bastidores com a Federação por não ter brigado pela vaga do clube, pois todos os envolvidos na época tinha a certeza que o Operário deveria ter sido incluído no então criado clube dos 13, pois tinha mais história e conquista do que por exemplo o Goiás.

 

Nos anos seguintes o Operário se tornou o maior Campeão Sul-Mato-Grossense de futebol ganhando os títulos  de 1988,1989,1991,1996 e o seu último campeonato no ano de 1997. Em 2015 completam 18 anos que a maior torcida do Estado não grita é Campeão. Mesmo assim o seu maior rival (Comercial) não passou até hoje o clube em numero de títulos. 

 

 

REBAIXAMENTO E SUSPENSÃO DA FFMS

 

No século novo, o clube passou por um período de ostracismo, até a chegada de 2008. Uma nova parceria que deu esperança para a torcida operariana. Com jogadores como Macedo (ex-São Paulo) e Anderson Lima (Seleção Brasileira), além de ser patrocinado por uma grande fornecedora de material esportivo, deu condições para que o clube tivesse a oportunidade de uma vitoriosa campanha no brasileirão da Série C, mas infelizmente o time não passou da primeira fase.

 

Em 2009, com uma campanha fraca com 2 vitórias, 1 empate e 13 derrotas o clube é rebaixado para a Série B do estadual pela primeira vez em sua história.

 

No ano seguinte faz uma boa campanha na Série B, mas termina em terceiro lugar na classificação ficando de fora da zona de acesso. No entanto, por conta da desistência do Costa Rica Esporte Clube de disputar a Série A em 2011, o Operário herda a vaga e retorna para a primeira divisão.

 

O ano de 2011 sem planejamento nenhum de sua diretoria toda esfacelada a equipe sem organização marca negativamente a história gloriosa do clube com um novo rebaixamento. Uma campanha pífia no estadual (duas vitórias em 14 jogos) e vários incidentes extra campo. O clube foi punido pela Federação de Futebol com a perda de seis pontos na tabela por escalação irregular de um jogador.

 

2013 :  Ubiratan venceu e eliminou o Operário na Série B do MS, foi o último elenco do Presidente Toni Vieira, que fracassou novamente

 

 

O presidente em exercicio na época Toni Vieira procurou o Ministério Público Estadual para denunciar supostas irregularidades de dois adversários. A reação da Federação foi imediata: suspensão das competições oficiais por dois anos. Segundo a entidade, o Operário contrariou o regulamento ao procurar a justiça comum para solucionar conflitos.

 

Em 2012 o clube sem apoio financeiro não disputou a competição da série B, além das brigas e problemas políticos com a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul. Em 2013 o Operário Futebol Clube voltou aos gramados por insistência de seus torcedores e das torcidas organizadas Garra Operariana & Esquadrão Operariano.

 

O ex-jogador Jean Carlos, foi convidado a comandar o elenco neste ano, mas por problemas administrativos e principalmente financeiros o clube foi eliminado nas semifinais pelo Ubiratan Esporte Clube que acabou levando o título deste mesmo ano diante do Costa Rica Esporte Clube. Assim mais uma vez o presidente Toni Vieira fracassou em sua última tentativa de levar o Galo da bandeirantes de volta a elite do futebol do Mato Grosso do Sul.

 

 

NOVO PRESIDENTE OPERARIANO - ESTEVÃO PETRALLÁS

 

Marino, Reinaldo, Presidente Estevão Petrallás, Walter, Reinaldo Barbosa, Anderson Ramos e Professor Raúl

 

 

No dia 21 de Agosto de 2014 quando o Operário Futebol Clube comemorou 76 anos da sua criação foi realizada uma nova eleição no clube, na oportunidade foi eleito presidente Estevão Petrallás e sua nova Diretoria com uma chapa de consenso.

 

Com um desafio pela frente o presidente Petrallás disputou o estadual de 2014 sem planejamento para participar do campeonato da série B de 2014. Mesmo não conseguindo a vaga para séria A de 2015, o clube fez uma boa campanha terminando em terceiro lugar.

 

 

 

Operário Futebol Clube de 2014

 

 

PLANEJAMENTO PARA ESTADUAL DE 2015

 

Para o ano de 2015, a nova Diretoria estruturou seu departamento de futebol do clube. Organizando as categorias de base, colocando em ordem os documentos e a contabilidade do OPERÁRIO.  Regularizamos nossa situação junto a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, referênte as contas correntes e o convênio da TIMEMANIA. Estamos trabalhando também para regularizar a situação do OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE junto a Receita Federal e a Justiça Trabalhista.

 

Para a disputa do Campeonato Estadual da Série B neste ano, o Presidente Estevão Petrallás vem com uma nova gestão no departamento de futebol profissional e com sua dedicação pessoal neste ano. "Nosso único objetivo deste ano além de conquistar a desejada vaga para a série A de 2016, é conquistar o primeiro título desta Diretoria" afirma Petrallás.

 

 

Técnico Chiquinho Lima, chega ao Operário para levar de volta a elite do nosso futebol estadual

 

Depois de muito trabalho essa diretoria comandada pelo Presidente Estevão Petrallás finalmente conseguiu tirar o nosso glorioso Operário dessa "tortura" chamado 2º divisão. Conquistamos o vice-campeonato, como o mesmo numero de pontos do campeão Itaporã e mesmo tendo vencido o time de Itaporã, e empatado a outra, perdemos o título pelo saldo de gols, coisas de regulamento que não prioriza o confronto direto.

 

Começamos com uma certa desconfiança tanto por parte da imprensa como da maioria de nossos torcedores. Mas sobre o comando do Treinador Chiquinho Lima que chegou e profissionalizou vários setores do departamento de futebol, juntamente com sua comissão técnica formada por Neneca, Renan, Barreto, Madalena, Major Dos Santos e do mordomo Felipe, os jogadores guerreiros finalmente após cinco anos voltamos para elite do futebol Sul-Mato-Grossense em 2016.

 

Operário Futebol Clube - 2015

 

Com a vaga garantida para série A de 2016, a Diretoria do clube busca inspiração no passado de glórias, um futuro promissor para o alvinegro campo-grandense e fazer com que o OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE, volte a ser o melhor time do Centro Oeste Brasileiro, contando sempre com nosso maior patrimônio, a torcida Operariana.

 

 

Campeonato Sul-Matogrossense 2016

 

 

Presidente Estevão Petrallás na apresentação do Técnico Celso Teixeira

 

Com um time formado por jogadores de todo o Brasil tendo a experiência do treinador Celso Teixeira no comando da equipe, encabeçado pelos craques Rodrigo Grahl, Leandro Diniz e o goleiro França, o Operário era considerado uma equipe bem preparada para lutar pelo título Sul-Mato-grossense, entretanto, o clube foi eliminado nas semifinais pelo Sete de Dourados após dois empates sem gols, onde o regulamento favorecia o time de Dourados e assim não conseguiu alcançar o seu grande objetivo almejado para o ano de 2016. Ficando em terceiro lugar, o Operário garantiu permanência na serie A do estadual e também uma vaga para a Copa Verde 2017. Nas categorias de base do Operário, o clube conquistou a vaga e o retorno para jogar na Copa São Paulo de juniores 2017 depois de seis anos obtida no campeonato estadual sub-19.

 

 

Copa São Paulo de Juniores 2017

 

 

 

Para a temporada em que o clube voltava a disputar competições Nacionais, a diretoria começou os trabalhos já em Agosto de 2016 com a categoria do Sub-19 sobe o comando do Professor Paulinho Rezende para a disputa da Copa São Paulo de Juniores de 2017. O Galo ficou na chave junto com o Taubaté, Corinthians e o Pinheiro-MA, na estreia contra o Taubaté-SP time que era o mandante e jogando em casa, o Operário acabou perdendo o jogo por 1x0.

 

Já para o segundo jogo contra o Corinthians e com transmissão pela SPORTV para todo o Brasil, os jovens atletas do Operário enfrentaram de igual para igual o Timão. A equipe do técnico Paulo Rezende recebeu elogios no primeiro tempo, quando conseguiu impedir que o time paulista jogasse e exercesse o total domínio da partida. No segundo tempo prevaleceu o conjunto do Corinthians e o placar final foi 4x0. O destaque do jogo acabou sendo o goleiro Operariano Lucas.

 

Para o jogo final e despedida da competição o Galo enfrentou e venceu o Pinheiros-MA por 3x2 com dois gols do atacante Kanu e o gol da vitória com o lateral Caio. Nas três participações anteriores, em 1993, 1995 e 2010, a exemplo deste ano, o time não passou da primeira fase. No total de 9 jogos nas três participações anteriores foram 4 empates e 5 derrotas, incluindo um empate por 1 a 1 com o Santos na primeira vez na competição.

 

Campeonato Sul-Mato-Grossense 2017

 

 

Operário Futebol Clube 2017

 

Para o campeonato estadual de 2017 a diretoria Operariana manteve a base da equipe do ano anterior como o goleiro França, o lateral Luis Jorge, o meia Leandro Diniz e o atacante Rodrigo Grahl. E contratou alguns jogadores que foram destaques em outras equipes como o meia atacante Igor Vilela do Ivinhema, o zagueiro Bruno Everton, lateral direito Da Silva e o volante Eduardo Arroz, este escolhido o melhor jogador do estado em 2016, todos campeões estaduais pelo Sete de Dourados.  Petrallás inovou também e vez uma parceria com o Publicitário Orlando Arnoud para comandar o Marketing do Clube, ele que iniciou sua carreira no Ituano-SP e com seu trabalhou trouxe o conceito do Show aos jogos e também ajudou no retorno da família Sul-mato-grossense ao estádio Morenão. Para comandar a equipe o clube contratou o técnico Paulista Carlos Rabelo, mas a poucos dias da estréia rescindiu o contrato com o Clube e foi dirigir a equipe do Juazeirense!

 

Em seu lugar a diretoria trabalhou rápido e trouxe o experiente treinador Celso Rodrigues, ex- técnico da Chapecoense - SC. Com a equipe já praticamente montada o técnico teve 10 dias para colocar sua filosofia de trabalho até a estreia contra a equipe do União ABC na volta do Estádio Pedro Pedrossian (Morenão). Na primeira fase o destaque foi o retorno do Comerário neste palco de grandes jogos, diante de um público de 8.500 torcedores entre pagantes e não pagantes presenciaram um grande jogo onde o placar final assinalou a vitória do Operário por 3x1 sobre o Comercial. No final da 1º fase os comandados do Celso Rodrigues somaram 20 pontos, 06 vitórias, 02 empates e 02 derrotas classificando em primeiro lugar.

 

Na segunda fase do Estadual ouve o cruzamento de chaves, e o Galo enfrentou o Urso de Mundo Novo. Com duas vitórias incontestáveis, (URSO 0 x 3 OFC e em Campo Grande, OFC 4 x 1 URSO) o Galo passa pelas quartas de finais.  No outro cruzamento o Corumbaense eliminou o União ABC, desta forma os dois Alvinegros jogaram as semifinais.

 

 

A volta do Comerário disputado no estádio Morenão, foi uma grande vitória para nosso futebol estadual

 

Tendo a vantagem de dois resultados iguais, o Operário viajou até Corumbá-MS para fazer o primeiro jogo contra o Corumbaense. Clima de jogo favorável ao time da casa e o estádio Arthur Marinho completamente tomado pela sua torcida, o Galo da Capital não sentiu e venceu pelo placar mínimo de 1x0 o Corumbaense. No jogo que daria ao Operário ter a possibilidade de disputar novamente um final do Estadual, o Corumbaense veio a Campo Grande e surpreendeu o time Alvinegro da Capital e conseguiu reverter a diferença do Operário venceu pelo placar de 3 x 1 e arrancou a classificação para fazer a grande final do campeonato contra o Novo que eliminou o Sete de Dourados.

 

Depois da decepção e de frustrar sua grande torcida por não conseguir chegar afinal do Estadual, o Operário vez dois jogos contra o Sete de Dourados para definir o representante do Estado na Copa Verde de 2018. Com uma derrota de 3x2 em Dourados, e uma vitória de 2x1 em Campo Grande o Galo conquistou a vaga por jogar por dois resultados iguais. No final a tabela do campeonato apontava o Operário na somatória com 32 pontos, 10 vitórias, 02 empates e 04 derrotas, nem o atual Campeão Corumbaense alcançou a campanha Operariana, que ficou faltando somente o título no final. Título este que a diretoria do Operário já trabalha para conquistar em 2018, e trazer novamente o grito de “É Campeão” a sua apaixonada torcida.

 

Copa Verde 2017

 

Depois do seu retorno em 2016 para a elite do estadual e com o terceiro lugar no campeonato, o Galo conquistou a vaga e o direito de ser o representante do Mato Grosso do Sul na disputa da Copa Verde em 2017, essa copa é organizada pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) é uma competição regional brasileira disputada desde 2014, entre equipes da Região Norte e Centro-Oeste, mais o Espírito Santo.  

 

A Copa Verde tem o formato similar ao da Copa do Brasil, com partidas de ida e volta, em sistema de mata-mata, utilizando oito datas do calendário oficial do futebol brasileiro entre janeiro a Maio, A Copa Verde é transmitida pela TV Esporte Interativo para todo o Brasil. Nas três primeiras edições, os campeões foram o Brasília 2014, o Cuiabá 2015, em 2016 o Paysandu conquistou o torneio e neste ano de 2017 o Luverdense levantou a taça. Atualmente, a competição assegura uma vaga ao Campeão da Copa Verde nas oitavas de final da Copa do Brasil do próximo ano.

 

 

Operário F.C x Luziânia-DF jogo pela Copa Verde no estádio Pedro Pedrossian (Morenão)

 

Os jogos da etapa inicial do Operário na Copa Verde foram dia 5 de março no Morenão em Campo Grande-MS domingo, às 15h (horário MS), diante de um grande numero de torcedores que mesmo debaixo de muita chuva compareceu ao estádio e acabou sendo o quarto maior público e renda da competição. O jogo que acabou sendo prejudicado pelo mau tempo, terminou empatado com o placar mínimo ao final do apito do trio de arbitragem feminina.

 

Na partida de volta, foi em Luziânia-DF no Estádio Zequinha Roriz, no dia 19, às 15h (horário MS), precisando da vitória para avançar na competição, o Operário acabou perdendo para o Luziânia por 1x0, deixando precocemente a Copa Verde, competição esta que o Operário já tem a vaga garantida para temporada de 2018.

 

 

Campeonato Sul-Mato-Grossense 2018

 

Para temporada seguinte a direção alvinegra começou os preparativos ainda em Setembro de 2017, em suas reuniões a diretoria decidiu em Outubro se reunir com o técnico Celso Rodrigues. Depois de uma conversa franca sobre erros e acertos que culminou com á perca do título de 2017, mesmo o clube alcançando mais pontos que o clube Campeão, e colocando como meta o título de 2018 a direção Operariana chegou ao consenso da manutenção do treinador Celso Rodrigues para próxima temporada.

 

 

Assistente técnico Rogério Trentin, Treinador Celso Rodrigues e o Preparador de goleiros Ricardo Grahl

 

Definido o treinador e sua comissão técnica, começaram a montagem do elenco para voltar a disputar a Copa Verde e buscar o almejado título estadual após quase 21 anos. Desta vez o Galo renovou quase que completo o elenco, permanecendo somente o experiente atacante Rodrigo Grahl e o jovem habilidoso Igor Vilela. Foi repatriado o meia-atacante Jullyan da campanha do acesso de 2015. Dois jogadores cotados para o retornarem também ao clube eram o volante Eduardo Arroz e o atacante Wilson que tomaram outros rumos nas suas carreiras.

 

 

Desta nova formação podemos destacar alguns nomes consagrados como os zagueiros Rodrigo Arroz que foi campeão da Copa do Brasil de 2006 pelo Flamengo, André Paulino que além dos títulos teve acessos com a Chapecoense, o goleiro Pereira vice-campeão da Copa Verde pelo Gama-DF, o volante Daniel Lucini com experiência do Brasileirão da série C, entre outras jovens promessas como o meia Wanderlei do futebol do Nordeste, o meia atacante Jefferson Reis do futebol Paulista, o zagueiro Alisson Gaúcho e o lateral Alan que teve acesso no Brasileirão com o Juventude-RS.  A apresentação dos atletas ao técnico Celso Rodrigues foi no inicio de dezembro, onde se estendeu os treinamentos até o dia 23, parando para as festividades de fim de ano e voltando todos no dia 02 de janeiro de 2018 para os treinamentos.

 

 

A estreia foi em Rio Brilhante contra a jovem equipe do União ABC, onde o empate não foi comemorado, o jogo foi fora de Campo Grande porque existia o imbróglio da reabertura ou não do estádio Pedro Pedrossian (Morenão) para os jogos do campeonato estadual. Tanto assim que enquanto os clubes do Operário F.C, União ABC e o Comercial lutavam pela liberação do Morenão, os jogos iam acontecendo de portões fechados. Neste cenário o jogo entre OFC e Novo foi realizado ás 10hs da manhã de último domingo de Janeiro no estádio sem a presença de sua torcida alvinegra, onde no final da partida o Galo conquistou sua primeira vitória por 2x0 na competição.

 

 

No primeiro jogo em Campo Grande o Galo jogou no estádio Morenão de portões fechados 2018

 

 

No fim da primeira fase o Operário terminou em 1º na chave acumulando 4º vitórias, 2º empates e 2º derrotas. O grande jogo desta fase foi a goleada por 4x1 no maior adversário o Comercial, que ficou marcado pelos três Gols do artilheiro Rodrigo Grahl, o Comerário ficou conhecido como “CARNAGRAHL”, pois foi realizado no sábado de Carnaval.

 

Copa Verde 2018

 

O Operário deu uma parada no estadual e jogou dois jogos pela Copa Verde, e começou bem a sua segunda participação na Competição e impôs a primeira derrota do ano ao Cuiabá-MT na época. Foi no Estádio Morenão com a volta dos torcedores nas arquibancadas, o Galo fez 1 a 0 no Dourado e levou a vantagem do empate para a partida de volta na Capital mato-grossense. O gol da vitória foi marcado pelo lateral Alan em um belo chute cruzado da esquerda.

 

 

Operário não segurou a equipe do Cuiabá e não classificou para 2ª fase na Copa Verde

 

 

Ainda não foi desta vez que o clube sul-mato-grossense passou da primeira fase na Copa Verde. No jogo da volta, realizado na Arena Pantanal, o Galo não segurou o Dourado e foi eliminado da competição. Após vencer o jogo de ida pelo placar mínimo, o Operário foi ao Mato Grosso enfrentar o Cuiabá-MT e a vantagem de poder perder por um gol de diferença não foi suficiente. O Galo acabou derrotado por 3 a 0 e com esse resultado ficou de fora da próxima fase da Copa Verde. Com a desclassificação, o Operário voltou suas atenções para o Campeonato Estadual.

 

 

Quartas de final do Estadual

 

 

Abrindo a segunda fase o Operário com a primeira colocação enfrentou o quarto lugar da chave B, que foi o time do URSO de Mundo Novo, mas diferentemente do que foram os jogos de 2017, neste ano o Galo teve que suar a camisa para passar para as quartas de final, usando a vantagem de jogar por dois resultados iguais, nos dois jogos ouve o empate no placar mínimo de 1x1, o detalhe e que no jogo final no Morenão o Galo só conseguiu o gol da classificação no último minuto de jogo com o zagueiro André Paulino que escorou de cabeça um cruzamento na área e fez a alegria da torcida Operariana nas arquibancadas.

 

 

Jogadores comemoram Gol no minuto final do zagueiro André Paulino diante da equipe do URSO - Mundo Novo

 

Após o susto e com a vaga garantida na Semifinal, o Galo teria pela frente seu algoz de 2016, o Sete de Dourados, que eliminou a jovem equipe do União ABC. Determinado a chegar novamente a disputar uma final após quase 21 anos, o Galo fez dois jogos com muita raça e desta vez não deu chance a equipe adversária, vencendo os dois jogos de forma convincente. No Morenão venceu por 1x0 com gol de Juninho quase no fim da partida.

 

 

No estádio Douradão novamente o Galo fez o gol da vitória no minuto final, o galo tinha aberto o placar no primeiro tempo com Luis Miguel, e aos 40`minutos o Sete tinha empatado, mas no último lance do jogo o gol da classificação venho dos pés do meia Fernandinho para explosão da torcida alvinegra presente no estádio, fechando o placar em 2x1 para o Galo da Capital. Garantindo assim o Operário a disputar uma final do estadual depois de tanto tempo.

 

 

Em um grande jogo o Operário venceu o Sete de Dourados novamente e garantiu a vaga na grande final  

 

 

Final do Estadual

 

Finalmente chegou a grande e desejada final, agora o clube teria outro algoz, o Corumbaense, a equipe a qual eliminou o Galo em 2017 em pleno Morenão nas semifinais. Como jogava com a vantagem de dois resultados iguais, o Operário viajou até a Cidade Branca para o primeiro embate, com o Arthur Marino lotado, o time do Corumbaense saiu na frente e venceu pelo placar mínimo de 1x0, tirando a vantagem do Galo da Capital.

 

 

Dia 08 de abril, chegou a data para conhecermos o Campeão Estadual desta temporada, depois de uma semana de treinos e muita conversa o Técnico Celso Rodrigues preparou a equipe para ganhar o jogo e buscar o sonhado título.

 

 

O herói André Paulino corre ao lado do zagueiro Rodrigo Arroz para comemorar com a torcida o Gol do título

 

Diante de um público recorde no estádio Morenão, e com as duas torcidas dando show nas arquibancadas os dois clubes entraram em campo para o grande espetáculo final. Depois de passar em branco o placar no primeiro tempo, mesmo o Operário propondo o jogo e o Corumbaense se defendendo, as emoções ficaram para o segundo tempo de jogo.

 

 

E quem voltou a brilhar foi o zagueiro André Paulino, “o herói improvável” que aos 25 minutos fez a rede adversária balançar com um lindo chute na entrada da área, o golaço fez o lado alvinegro da Capital vibrar, chorar e cantar o grito preso na garganta a quase 21 anos “ O Campeão Voltou”, esse canto continuou após o apito final do arbitro do jogo.

 

 

Grande público prestigiou a final entre Operário x Corumbaense, torcedores deram show nas arquibancadas

 

 

A torcida enlouquecida nas arquibancadas festejavam o momento em que o capitão Rodrigo Grahl levanta a 15ª Taça estadual do OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE, que com o título do Campeonato Sul-Mato-Grossense Loterias Caixa ganha novamente um calendário para próxima temporada, e o clube volta a disputar grandes competições, como a Copa do Brasil, a Copa Verde e a Série D do Campeonato Brasileiro, além do Campeonato Estadual.

 

 

Capitão Rodrigo Grahl levanta a 15ª Taça estadual do OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE

 

Essa conquista coroa uma gestão alvinegra comandada pelo Presidente Estevão Petrallás e seus diretores que não mediram esforços para o glorioso Operário voltar a ser novamente protagonista em nosso futebol.

 

                                                                                                          Foto Cedida - Nelson Corrales

Atletas, Comissão Técnica, Presidente Estevão Petrallás e sua diretoria com o trófeu de Campeão

 

 

TEMPORADA 2019

 

Depois da conquista de mais um título estadual em 2018 após quase 21 ano de espera, o Operário F.C passou a sonhar com outras conquistas no ano de 2019. Afinal  o clube voltaria a disputar a tão valorizada Copa do Brasil após 13 anos, e teria sua estreia na Série D, já que sua última participação em competição nacional foi em 2008 na Série C, além de confirmar pela terceira vez seguida sua participação da Copa Verde e a disputa local do estadual de futebol.

 

 

Mas um ano que prometia de crescimento do clube, algumas decisões equivocadas no planejamento para 2019, mostraram no decorrer da temporada que não foram acertadas. A temporada de 2019 iniciou com a troca de comando no clube, mesmo com alguns poucos diretores entendendo que a manutenção do treinador Celso Rodrigues seria o ideal,  a direção majoritária e outros diretores resolveram apostar em novas ideias para o futebol profissional.

 

 

Rodrigo Grahl assumi com Gerente de Futebol, ao lado do Técnico Arilson Costa

 

O então aposentado atleta Rodrigo Grahl, foi promovido a Gerente de Futebol do Galo, após três anos brilhantes defendendo as cores alvinegras do Operário Futebol Clube. Entre alguns nomes apresentados para a direção, o nome escolhido foi do treinador Arilson Costa, que vinha de bons trabalhos no Rio Grande do Sul. Mas sua passagem ao final do primeiro semestre a frente do Galo não refletiu no resultado final e nas expectativas esperadas por todos.

 

 

A temporada do Operário F.C. inicio de forma dura na Copa do Brasil na derrota para o Botafogo-PB por 4x1 em pleno estádio Morenão, onde  o primeiro tempo foi bem disputado, e tinha terminado empatado pelo placar mínimo. Mas  antes do arbitro apitar o fim dos primeiros 45 minutos o Galo teve uma expulsão infantil de seu atacante, que foi muito sentida no segundo tempo. Com um jogador a menos, o Belo da Paraíba foi superior e seguiu na competição.

 

 

Operário voltou a Copa do Brasil após 13 anos, mas foi eliminado pelo Botafogo-PB

 

Após a decepção de seu retorno a Copa do Brasil, o Operário voltou suas atenções para o campeonato estadual, o time oscilou muito chegando a estar em quinto lugar quase no fim do primeiro turno, e após uma reação em campo e tropeços dos adversário, o Galo terminou na liderança da primeira fase da competição.

 

Na tabela  o galo jogaria contra o oitavo lugar, que no momento era o Serc Chapadão,  mas o resultado final foi alterado com o julgamento do TJD-MS que puniu a equipe do Aquidauanense com perdes de pontos por jogar com um atleta irregular. com isso o time de Aquidauana terminou em oitavo lugar e assim seria o adversário do OFC nas oitavas de final.

 

Jogando por dois resultados iguais, o Galo foi até a  cidade de Aquidauana e voltou de lá com uma derrota pelo placar mínimo. Tendo a obrigação de devolver o placar para seguir no estadual. Mesmo jogando diante de sua torcida o Galo não conseguiu vencer a partida, que terminou com o empate de 1x1 e assim decretando mais  uma decepção aos seus apaixonados torcedores e diretores que viram o então campeão ser eliminado precocemente do campeonato estadual.  No final o Aquidauanense perdeu na final para o Águia Negra, que ficou com o título estadual.

 

 

Mesmo jogando diante da sua torcida, o Operário decepicionou e foi eliminado pelo Aquidauanense

 

As atenções da direção do Operário então se voltaram para as disputas da Série D e Copa Verde. Antes mesmo do inicio das competições, o clube foi informado que não teria o estádio Morenão, que tinha  sido interditado pelo MPE-MS por falta de laudos, sendo assim o Galo teve que jogar no estádio das Moreninhas.

 

Para os compromissos do segundo semestre, o Presidente Petrallás, trocou o comando do time, saiu Arilson Costa, e retornou o treinador campeão Celso Rodrigues, mesmo com poucos dias para o inicio da competição, Celso aceitou esse desafio. O time foi quase todo refeito, e com uma participação discreta na Série D, o time sucumbiu aos seus adversários, entre vitórias, empates e derrotas o Operário foi eliminado  ainda  na fase inicial.  O Galo finalizou a competição com apenas cinco pontos ganhos, conquistados com uma vitória e dois empates. Esta foi a primeira vez que o clube participou deste formato do Brasileiro da Série D.

 

 

Celso Rodrigues voltou ao comando do Operário F.C na Basileiro da Série D

 

Passando por dificuldades no orçamento, o Presidente Estevão tomou uma decisão dura, teve que ainda durante os jogos da Série D, abrir mão da sua vaga na Copa Verde. Deixando assim mais uma vez seus torcedores decepcionados.  Nas categorias de base, o clube também não conseguiu resultados na Sub17 e 19 e no futebol feminino, foi eliminado em todas as categorias que participou.

 

 

Desta forma finalizou um ano de competições que os resultados passaram longe do esperado. Agora a direção do clube vem trabalhando para reformular o futebol profissional e as categorias de base do Operário F.C.. A direção Operariana vai buscar o caminho do sucesso, o caminho dos títulos e o crescimento deste clube que ainda é o maior campeão do Mato Grosso do Sul. Que venha 2020!

 

 

Operário teve que jogar em Rio Brilhante seu último jogo na Série D

 

 

 

Manchetes históricas